Amityville ♥

Amityville - Juliana Fiorese

O sábio sabe que ele não sabe – e o 
prudente respeita o que não controla.
[Amityville, p. 13]

No centro histórico da minha cidade existem vários casarões abandonados – o que é uma tristeza, porque a nossa história vai morrendo com este descaso -; mas um específico, localizado na rua por trás do colégio em que eu estudava – Rua Monsenhor Walfredo Leal -, marcou a minha adolescência.

Todas as vezes em que eu passava com as minhas amigas na frente daquela casa, algo nos chamava a atenção. Ficávamos ali, imaginando as muitas histórias que aquela casa poderia nos contar e, por conta do estado de abandono, logo chegávamos à conclusão: é mal-assombrada – o que me amedrontava muito, lógico.

Amityville - Juliana Fiorese
Fonte: Facebook Fazendas Históricas

Nós nunca nos atrevemos a entrar lá, mas lembro de tirarmos fotos – analógicas, naquela época – na frente do casarão e ficarmos ansiosas para revela-las. Eu, particularmente, ficava horas olhando para aquelas fotos, analisando e tentando encontrar algo estranho.

Nunca encontrei, obviamente.

Amityville - Juliana Fiorese

Fonte: Facebook Fazendas Históricas

O que eu quero dizer com tudo isto é que, a partir de toda a imaginação daquela época tão bonita, esta casa ganhou um espacinho especial no meu coração e toda vez que eu passo na frente dela, preciso mostra-la e comentar sobre para quem estiver comigo.

Mal-assombrada ou não, esta casa sempre vai fazer parte das recordações misteriosas da minha época de estudante, sempre à procura de aventuras através das memórias perdidas daquela casa que, certamente, nunca cairá no esquecimento se depender de mim.

Amityville - Juliana Fiorese
Fonte: Facebook Fazendas Históricas

A leitura de Amityville, publicado aqui no Brasil pela DarkSide Books, já se tornou especial simplesmente por resgatar lembranças de uma época que me foi tão importante. E é nisto que está toda a magia da literatura. ♥

Amityville - Juliana Fiorese

ISBN: 978-85-945-4012-6 | DarkSide Books | 240 páginas | 21,4 x 14,2 x 1,8 cm | 2016

Adquirindo o livro clicando nesse link aqui: Amityville
você incentiva e ajuda o blog a crescer.

Amityville - Juliana Fiorese

Eu leio muito devagar e acredito que, por conta disso, eu fico totalmente imersa em qualquer história. Parece que os acontecimentos estão passando ao meu lado. E como boa medrosa que sou, já fiquei com medo logo no início de Amityville, quando o padre chega na casa e escuta uma voz alta e grossa mandando-o sair dali imediatamente.

Então, vocês imaginam como foi a minha leitura ao longo das páginas e de tudo o que vai acontecendo naquela casa, porque vai piorando cada vez mais.

Amityville - Juliana Fiorese

Eu não sei se realmente aquilo aconteceu ou não, na vida real. Mas, estou aqui para contar sobre a minha experiência de leitura. E já adianto que, este livro não passou uma noite na minha mesinha de cabeceira !! Todas às vezes em que eu parava a leitura, ia lá na estante, guarda-lo.

Cabe a cada leitor escolher a maneira que vai encarar o livro e isto certamente vai resultar na sua opinião final sobre a história.

Mas uma coisa é certa: quanto mais se fala em uma construção, dando-lhe atenção especialmente da mídia, dificilmente ela entrará em processo de deterioração e as suas histórias – ou estórias – vão ultrapassar gerações, nunca chegando ao ponto que tristemente encontra-se o casarão lá na Rua Monsenhor Walfredo Leal e tantos outros.

Infelizmente, a casa de Amityville é lembrada por uma tragédia. =~

Amityville - Juliana Fiorese

Título - Juliana Fiorese

Amityville nos apresenta um relato da família Lutz, elaborado através de entrevistas realizadas pelo jornalista Jay Anson, somadas a depoimentos de pessoas que moravam na vila naquela época, sobre os acontecimentos pelos quais aquelas pessoas passaram ao longo de sua estadia na residência localizada no número 112 da Ocean Avenue, em Amityville, Long Island.

Amityville - Juliana Fiorese

A casa em questão foi palco de uma chacina orquestrada por Ronald Defeo Junior, 23 anos, que matou a tiros os pais, dois irmãos e duas irmãs, em 1974.

O que deixa o caso mais misterioso é o fato de que ninguém na vizinhança escutou os seis tiros feitos por Defeo Júnior, com uma arma altamente barulhenta.

Além disso, todos os corpos das vítimas foram encontrados de bruços, com as mãos na cabeça; e nenhuma delas acordou durante o massacre com o barulho dos tiros.

Amityville - Juliana Fiorese

Um ano após esta tragédia, a família Lutz – George e Kathy e seus três filhos: Daniel, 9 anos; Christopher, 7 anos; e Missy, 5 anos -, nem um pouco supersticiosa, comprou a casa – visto que estava com um preço muito atrativo -, mas não conseguiu permanecer lá por mais que quatro semanas.

Amityville - Juliana Fiorese

Aos poucos, acontecimentos sobrenaturais foram se manifestando ao longo destes dias e fortalecendo-se cada vez mais, atingindo não só todos os membros da família, mas quem mais se envolvesse com a casa, como foi o caso do padre que visitou os recentes moradores da casa número 112, da Ocean Avenue.

Amityville - Juliana Fiorese

O livro vai nos apresentando então, aos poucos e dia após dia, tudo o que acontecia durante a estadia dos Lutz em Amityville. O relato tem início no dia 18 de dezembro de 1975 e termina no dia 14 de janeiro de 1976, com a saída dos Lutz da residência.

Amityville - Juliana Fiorese

E aqui vai ter de tudo, gente: odores fortíssimos, objetos movendo-se sozinhos, objetos destruídos inexplicavelmente, vozes e barulhos esquisitos originados sabe-se lá de onde, alteração na personalidade de cada morador, doenças abruptas, gosmas e sujeiras estranhas na casa, pessoas acordando sempre às 3:15 da madrugada, fixações em determinados locais, frios sem sentido dentro da casa, horror sem explicação sentido pelo cachorro da família, janelas e portas abrindo-se e fechando-se sozinhas, crucifixos invertidos e moscas, muitas moscas.

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Existe uma coisa que acontece com Kathy, lá nos últimos dias de estadia na casa – que não vou contar o que é -, que realmente fez meus olhos encherem de lágrimas. Aliás, tudo pelo o que esta mulher passou é aterrorizante.

Eu não sei como eles conseguiram ficar todo este tempo na casa – na realidade ou na ficção, ahah.

Amityville - Juliana Fiorese

Mas, de todos os acontecimentos apresentados no livro, o que mais me deu medo foi um personagem que aparece, chamado Jodie.

Sério, que coisa mais sinistra !! Já faz uns dois meses – eu acho – que li este livro, mas só de lembrar dele, já fico apreensiva.

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Independente desta história ter realmente acontecido ou não, Amityville me deixou muito assustada e eu não tive um momento em que pudesse respirar tranquila; acontece coisas estranhas a todo momento, em cada página.

Esta foi, para mim, uma experiência única; nenhum livro conseguiu arrancar de mim o que senti na leitura de Amityville. ♥

Amityville - Juliana Fiorese

Juliana Fiorese - Títulos

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Amityville - Juliana Fiorese

Título - Juliana Fiorese

Para ilustrar um pouco mais este post, eu reuni aqui algumas imagens da casa localizada no número 112 da Ocean Avenue e dos antigos moradores, os DeFeo. Existem muitos e muitos sites falando sobre o caso, é só pesquisar !! ♥

Mas o site O Aprendiz Verde traz um artigo bem completo e cheio de detalhes sobre este crime histórico, é só clicar aqui para ler mais sobre o caso.

Amityville - Juliana Fiorese
Os cinco filhos dos DeFeo; Ronald é o primeiro da direita. Fonte: Mail Online

Amityville - Juliana Fiorese
Polícia retratada fora da casa em Amityville após os assassinatos de 1974. Fonte: Mail Online

Amityville - Juliana Fiorese
Ronald DeFeo. Fonte: Mail Online

Amityville - Juliana Fiorese
Detetive usando detector de matais em busca de evidências na frente da casa dos DeFeo. Fonte: O Aprendiz Verde

Amityville - Juliana Fiorese
High Hopes, no número 112 da Ocean Avenue, Amityville. Fonte: Mail Online

Juliana Fiorese - Títulos

Eu ainda não tive coragem de assistir nenhum dos filmes que já foram feitos sobre esta casa em Amityville, mas eu separei este espacinho para compartilhar um pôster do filme de 2015, que eu achei muito lindo:

Amityville - Juliana Fiorese

Every house has a history. This one has a legend.

E este é o trailler do filme de 2005:

Alguém já assistiu algum filme com base nesta história ?!

Amityville - Juliana Fiorese

Adquirindo o livro clicando nesse link aqui: Amityville
você incentiva e ajuda o blog a crescer.

É isso pessoal… Quem já leu o livro ou viu os filmes? Quem ficou com vontade de conhecer Amityville ?! Me contem, por favor, aqui nos comentários, eu adoraria conhecer a opinião de vocês ♥ !!

Espero que tenham gostado do post de hoje.
Muito obrigada por acompanharem até aqui.

Com muito carinho ♥,
Juliana Fiorese.

♥ MINHA LOJINHA ONLINE ♥

Lembrando que, comprando qualquer livro clicando aqui: Amazon
você ajuda o blog a crescer e incentiva cada vez mais a postagem de
novas resenhas como essa por aqui .

Juliana Fiorese

0 comments

  1. Oi, Juliana 🙂
    Essa edição é maravilhosa, né? E fez toda a diferença vir com os mapas da residência! Deu pra ter uma noção maior da história.
    Nossa, eu li esse livro durante num domingo, adoro histórias de terror, mas no final sempre fico morrendo de medo hahahaha
    O filme Horror em Amityville é bem fantasioso em relação ao livro, preferi o livro mil vezes mais 🙂

    Beijos,
    Giulia | http://www.1livro1filme.com.br

    1. Oiii Giulia !! Essa edição é linda mesmo !! <3 <3 <3 <3 Eu amo livros que vem com mapas !! E quando eu vi as plantas baixas da casa fiquei apaixonada !! Aaaah, se todos os livros viessem assim, né ?! <3 <3 <3 <3 Eu demorei um pouquinho mais pra ler, mas mesmo assim, adorei a experiência. Só que não tive coragem para ver o filme – ainda. xD Obrigada pela visita no blog !! Beijos !! <3 <3 <3 <3

  2. Oii Juliana!!! Puxa vida! Eu também sou super medrosa e, ao contrário de ti, simplesmente não consigo nem assistir nem ler histórias de terror, ainda tô procurando um livro mais levinho pra tentar começar! rs
    Só de ler tua resenha já fiquei toda apreensiva aqui, então imagina só a situação! HAHAHA!
    Mas vou recomendar tua resenha pro namorado, porque esse sim curte! 😉
    Beijoos!

    http://www.cafeadois.com.br/

    1. Oiii Mariana !! <3 <3 <3 Eu era assim também, mas resolvi encarar este livro, e foi a leitura que eu mais tive medo. Ficava imaginando que se eu presenciasse alguma daquelas coisas, eu teria uma ataque do coração. ahahah Eu sempre imagino isso com histórias – reais ou não – de terror. Sou muito medrosa, sério. Sobre o filme, não tenho coragem de assistir não !! Pelo menos ainda não. xD Obrigada por indicar a resenha !! Espero que ele goste !! E muito obrigada pela visita no blog e pelo comentário !! <3 <3 <3 <3 <3 Beijos !!

Deixe uma resposta