Frases ♥ Frankenstein | Especial Mary Shelley

Frankenstein Mary Shelley Darkside Books - Juliana Fiorese

Aprendi, do ponto de vista da vida social que desenvolvi,
a admirar suas virtudes e a reprovar os vícios da humanidade.
[Frankenstein, p. 137]

Eu não sei vocês, mas se tem uma coisa que eu adoro fazer ao longo de minhas leituras, é marcar frases que me chamam atenção e que me fazem refletir.

Não tem nada mais legal que, em alguma conversa aleatória, lembrar que algum escritor já falou sobre isso – o tema da conversa – em algum livro e ter a frase marcada para relembrar e até mostrar para os participantes da conversa. ♥ É incrível !!

Sem falar que revisitar certas histórias a partir de trechos que, de alguma maneira, foram especiais naquele momento, nos aproxima novamente da obra. ♥ ♥ ♥

Frankenstein Mary Shelley Darkside Books - Juliana Fiorese

Frankenstein Mary Shelley Darkside Books - Juliana Fiorese

O post de hoje é para mostrar para vocês as frases que mais me chamaram a atenção e, aproveitando, para que vocês também percebam como é a escrita de Mary Shelley.

Espero, de todo coração, que gostem do que separei em minha leitura.

Frankenstein Mary Shelley Darkside Books - Juliana Fiorese

Frankenstein Mary Shelley Darkside Books - Juliana Fiorese

A vida ou a morte de um homem seriam preços irrisórios a se pagar pela aquisição do conhecimento que busco, pelo domínio que devo conquistar e legar sobre os inimigos mais elementares de nossa raça.” [Frankenstein, p. 44]

Devemos continuar nosso curso com os demais e aprender a nos julgar afortunados enquanto existirem aqueles que não foram arrebatados pela ceifada.” [Frankenstein, p. 60]

Os esforços dos homens de gênio, embora erroneamente direcionados, quase nunca falharam ao se transformarem, por fim, em sólidos benefícios para a humanidade.” [Frankenstein, p. 64]

Para analisar as causas da vida, primeiro devemos recorrer à morte.” [Frankenstein, p. 67]

(…) quão perigosa é a aquisição do conhecimento e quão mais feliz é o homem que vê o mundo como sua cidade natal do que aquele que aspira tornar-se maior do que permite sua natureza.” [Frankenstein, p. 69]

Frankenstein Mary Shelley Darkside Books - Juliana Fiorese

Um ser humano maduro deve sempre preservar a mente calma e pacífica e nunca permitir que a paixão ou o desejo transitório perturbe sua tranquilidade. Não creio que a busca pelo conhecimento seja uma exceção à regra. Se o estudo a que a pessoa se dedica tende a enfraquecer seus afetos e a destruir o gosto pelos prazeres simples que não admitem mistura alguma, então esse estudo é certamente ilegítimo, ou seja, não condizente com a razão humana.” [Frankenstein, p. 73]

Nada é mais doloroso para a mente humana, após os sentimentos serem instigados por uma sucessão rápida de acontecimentos, que a calma mortal da inação e a certeza que se segue e priva a alma tanto da esperança quanto do medo.” [Frankenstein, p. 105]

(…) não é obrigação dos que sobreviveram refrear a infelicidade sem aparentar um pesar imoderado? É um dever para consigo mesmo, pois o pesar excessivo impede a melhoria e a satisfação ou até mesmo a execução das tarefas diárias, sem as quais nenhum homem está apto para a sociedade.” [Frankenstein, p. 106]

Sempre existe oportunidade para o medo, uma vez que alguma coisa que amei tenha sido deixada para trás.” [Frankenstein, p. 106]

(…) quando a mentira pode parecer tanto com a verdade, quem pode assegurar-se de alguma alegria?” [Frankenstein, p. 107]

Frankenstein Mary Shelley Darkside Books - Juliana Fiorese

Enquanto nos amaramos, enquanto formos verdadeiros um para com o outro, aqui nesta terra de paz e beleza, nossa terra natal, poderemos receber todas as bençãos tranquilamente.” [Frankenstein, p. 108]

“Por que o homem se vangloria de sensibilidades superiores ao aparentemente selvagem?” [Frankenstein, p. 111]

Todos os homens odeiam o ignóbil!” [Frankenstein, p. 113]

Seria o homem, ao mesmo tempo, de fato, tão poderoso, virtuoso e magnífico e, no entanto, tão vicioso e desprezível? Pareceu-me, simultaneamente, um mero herdeiro do princípio do mal e, por outro lado, tudo o que pode ser concebido como nobre e divino. Ser um homem grande e digno é a maior honra que pode caber a um ser sensível; ser vil e impuro, como muitos o foram, parece a mais baixa degradação, uma condição mais abjeta que a de uma toupeira cega ou a de um verme inofensivo. Por muito tempo não pude conceber como um homem poderia assassinar o próximo ou mesmo por que havia leis e governos, mas quando ouvi detalhes dos vícios e das matanças, deixei de pensar e afastei-me com desgosto e aversão.” [Frankenstein, p. 131]

– Não se desespere. Não ter amigos é deveras lamentável, mas o coração dos homens, quando não deteriorado por algum egoísmo manifesto, é repleto de amor fraternal e caridade.” [Frankenstein, p. 142]

Frankenstein Mary Shelley Darkside Books - Juliana Fiorese

Tudo, menos eu, estava em paz ou em alegria. Eu, como o arqui-inimigo, trazia um inferno dentro de mim. Encontrando-me incompreendido, desejei arrancar as árvores, espalhar ruína e destruição ao meu redor e, então, sentar-me e apreciar os destroços.” [Frankenstein, p. 145]

Senti, então, que deveria sobreviver para exibir o que em breve eu deixaria de ser – um espetáculo miserável de humanidade devastada, deplorável aos outros e intolerável para mim mesmo.” [Frankenstein, p. 166]

Como nossos sentimentos são mutáveis e como é estranho o amor com que nos apegamos à vida mesmo quando nos resta apenas a infelicidade!” [Frankenstein, p. 179]

O conjunto de minha vida parecia-me um sonho.” [Frankenstein, p. 186]

É bom para o infeliz resignar-se, mas não há paz para o culpado.” [Frankenstein, p. 196]

Frankenstein Mary Shelley Darkside Books - Juliana Fiorese

A vida é obstinada e aferra-se fervorosamente onde é mais detestada.” [Frankenstein, p. 201]

Nada é tão doloroso para a mente humana como uma mudança grande e súbita.” [Frankenstein, p. 203]

Trate mal uma pessoa e ela se tornará perversa. Retribua o afeto com desprezo; deixe a criatura ser tida, por qualquer motivo, como a escória da espécie; coloque-a à parte, como ser social, da comunidade e lhe imporá obrigações irresistíveis: malevolência e egoísmo. É assim que, muitas vezes, na sociedade, os que são qualificados da melhor maneira para se tornarem benfeitores e ornatos são marcados, por algum acidente, pelo desdém e apenados, por abandono e solidão do coração, como flagelo e maldição.” [Frankenstein, p. 232]

Frankenstein Mary Shelley Darkside Books - Juliana Fiorese

Frankenstein Mary Shelley Darkside Books - Juliana Fiorese

Adquirindo o livro clicando nesse link aquiFrankenstein
você incentiva e ajuda o blog a crescer.

Alguém já leu Frankenstein ?! O que achou ?! Quem não leu, pretende ler também ?! Me contem aqui nos comentários, eu adoraria conhecer a opinião de vocês ♥ !!

Espero que tenham gostado do post de hoje.
Muito obrigada por acompanharem até aqui e até amanhã !!

Com muito carinho ♥,
Juliana Fiorese.

Links do Especial Mary Shelley:

Introdução e Unboxing | Projeto Gráfico Edição DarkSide Books | Mary Shelley e Mary Wollstonecraft |
Processo Criativo Ilustração Mary Shelley | Impressões de Leitura Frankenstein |
Impressões de Leitura Contos | Melhores Frases | Por onde andas, oh, Frankenstein |
Sorteio e agradecimentos

Frankenstein Mary Shelley Darkside Books - Juliana Fiorese

♥ MINHA LOJINHA ONLINE ♥

Lembrando que, comprando qualquer livro clicando aqui: Amazon
você ajuda o blog a crescer e incentiva cada vez mais a postagem de
novas resenhas e projetos literários por aqui .

Juliana Fiorese

Deixe uma resposta