Lendo Os Miseráveis #08 ♥

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Em tempos de revolução, a miséria é,
ao mesmo tempo, causa e efeito“.
[Os Miseráveis, p. 1169]

Depois das fortíssimas emoções dos últimos capítulos da parte de Marius, nós temos aqui nas próximas páginas um momento de calmaria e de história da França.

Já estava em tempo, eu realmente precisava respirar, depois de tantos momentos tensos !!

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Comprando o livro clicando nesse link aqui: Os Miseráveis (Cosac Naify)
ou Os Miseráveis (Martin Claret), você incentiva e ajuda o blog a crescer.

Gente ♥ !!

Esse é o primeiro post do segundo volume de Os Miseráveis !! E corresponde à oitava semana de leitura coletiva desse livro espetacular.

Como eu resolvi fechar o último diário de leitura no término do volume 1 – página 1118 -, hoje eu vou compartilhar com vocês a minha experiência de leitura da página 1127 à página 1200 acompanhando o cronograma de leitura do projeto, dando continuidade ao meu diário de leitura – lembrando que tem spoilers, visto que trata-se de um diário de leitura, ok?

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

♥ Da página 1127 à página 1200 ♥
♥ O idílio da Rue Plumet e a epopeia da Rue Saint-Denis ♥

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Neste livro primeiroAlgumas páginas de história – de Saint-Denis vamos chamar essa quarta parte assim, para abreviar -, Victor Hugo vai nos contar sobre como a população francesa estava cansada no período da Restauração com a volta dos Bourbon ao reinado.

As pessoas estavam desejando tranquilidade, mas também sonhavam com justiça.

Ao mesmo tempo que os homens cansados pedem repouso, os fatos consumados pedem garantias. As garantias para os fatos são o mesmo que o repouso para os homens“. [p. 1128]

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Na Restauração foi-se contestado “os títulos coletivos e individuais, tirando à nação a soberania e ao cidadão a liberdade“. [p. 1130]

Em outros termos, negava à nação justamente o que a fazia nação e ao cidadão o que o constituía cidadão“. [p. 1130]

Daí veio a Revolução de julho que, de acordo com Victor Hugo, foi “o triunfo do direito arrasando os fatos, algo cheio de esplendor“. [p.1133]

Essa luta entre o fato e o direito trava-se desde a origem das sociedades. Terminar o duelo, amalgamar a ideia pura com a realidade humana, fazer o direito penetrar pacificamente nos acontecimentos, e vice-versa, eis a missão dos sábios“. [p.1134]

Os Miseráveis - Juliana Fiorese
Eugene Delacroix – La liberté guidant le peuple. Fonte: Wikipedia

Victor Hugo também vai nos contar como foi a saída da família real do poder por conta de toda a pressão popular. Na Revolução de julho as pessoas já estavam muito esclarecidas, desejando fortemente liberdade.

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Vamos entender um pouco sobre a vida e a personalidade do Príncipe Filipe, e sobre tudo o que ele fez pela França.

Luís Filipe foi um rei em dia claro. Enquanto reinou, a imprensa foi livre, a tribuna foi livre, assim como a consciência e a palavra. As leis de setembro foram uma verdadeira claraboia. Embora conhecendo o poder da luz sobre os privilégios, deixou seu trono exposto à claridade. A história há de levar-lhe em conta essa lealdade“. [p. 1145]

Luís Filipe foi eleito por (…) um quase parlamento e uma quase revolução“. [p. 1146]

Os Miseráveis - Juliana Fiorese
Luís Filipe, o rei burguês. Fonte: Wikipedia

Também vamos conhecer um pouco sobre a base socialista que, aos poucos, ia infiltrando-se na mentalidade de uma sociedade mais pensativa, mais questionadora.

Antes mesmo de 1830 já estavam sendo organizadas pequenas revoltas e os operários estavam armando-se em segredo contra o governo; esses operários estavam revoltados com os governantes e a revolução estava fermentando.

Queriam o fim das opressões, o fim das tiranias, o fim da espada; queriam o trabalho para o homem, instrução para a criança, tranquilidade social para a mulher, liberdade, igualdade, fraternidade, pão para todos, ideias para todos, a edenização do mundo, o Progresso; e essa coisa santa, boa e agradável, o Progresso, eles a reclamavam impacientes,  fora de si mesmos; reclamavam-na, terríveis, seminus, de maça em punhos e rugidos nos lábios. Sim, eram selvagens; mas selvagens da civilização“. [p. 1171]

Eles proclamavam furiosamente o direito; queriam, embora pelo terror e pelo medo, forçar o gênero humano ao paraíso. Pareciam bárbaros e eram salvadores. Reclamavam a luz usando a máscara da noite“. [p. 1171]

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

E, no meio dessa efervescência histórica, Victor Hugo sutilmente nos aproxima novamente dos personagens de seu enredo, levando-nos ao Café Musain, onde Enjolras encontra-se em reunião com os Amigos do ABC, difundindo o Progresso.

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Aqui no livro segundoEponine – nós iremos nos deparar com um Marius infinitamente triste que, por conta dos acontecimentos anteriores, sai do Pardieiro Gorbeau sem deixar nenhuma pista de seu destino.

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Nesse momento da história, Marius não tem mais nenhuma informação sobre sua querida Úrsula, nem mesmo seu verdadeiro nome – visto que ele havia descoberto que aquele lenço esquecido no Luxembourg pertencia a seu pai, e não a ela -.

Por conta disso, o rapaz cai em profunda tristeza, não conseguindo nem ao menos trabalhar e, como consequência, atinge uma miséria absurda. Pobre Marius.

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Marius passa a morar então na casa de Courfeyrac e ainda pede-lhe emprestado cinco francos por mês para enviar a Thénardier na cadeia, tudo em segredo.

O que mais me impressionou é que Marius nunca havia feito nenhuma dívida; ele preferia morrer de fome à endividar-se com empréstimos. Daí a gente vê o quão abalado estava o seu estado emocional.

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Enquanto isso, na prisão, há uma movimentação de mensagens entre os prisioneiros pegos naquele dia no Pardieiro Gorbeau, mas Victor Hugo ainda não nos relata muito aqui sobre isso.

Ficamos mesmo bem curiosos.

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Simplesmente por conta da falta de provas contra elas, Eponine e Azelma, sua irmã, depois de dois dias presas, são libertas.

Eponine, ao longo de dois meses, procura por Marius e, com a ajuda do Sr. Mabeuf, finalmente o encontra.

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Engraçado que quando os dois se encontram, ele está fora de si sentado em um parapeito… Achei que ele meio que ia suicidar-se !!

Fiquei morrendo de dó de Marius, gente.

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Ah !! Quando Eponine avisa a Marius que ela sabe onde está aquela garota – Úrsula -, o rapaz entrega-lhe cinco francos que tem no bolso; a resposta que Eponine lhe dá, jogando esse dinheiro no chão, é descrita com maestria pelo nosso querido Victor Hugo !!

Desconfio fortemente que ela morre de amores por ele. Coitada.

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

É isso pessoal !!

E vocês? Em que parte estão e como estão em relação à história?
Alguém está sentindo-se empolgado para começar a ler o livro?
Gostaria muito de saber, me contem aqui nos comentários ♥ !!

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Os Miseráveis - Juliana Fiorese

Comprando o livro clicando nesse link aqui: Os Miseráveis (Cosac Naify)
ou Os Miseráveis (Martin Claret), você incentiva e ajuda o blog a crescer.

Espero que tenham gostado do oitavo post do projeto Lendo Os Miseráveis. Até a próxima sexta, com mais diário de leitura ♥.

Muito obrigada por acompanharem até aqui.

Com carinho , Juliana Fiorese.

♥ Para ler todos os posts do projeto Lendo Os Miseráveis, clica aqui

Lembrando que, comprando qualquer livro clicando aqui: Amazon
você ajuda o blog a crescer e incentiva cada vez mais a postagem de
novas resenhas e diários de leitura como esse .

Juliana Fiorese

0 comments

    1. Chell !! Sua linda !! Esse livro é grandinho, mas a gente lê e nem sente, de tão bom que é !! Ainda tem chão mesmo … As postagens do diário de leitura dele vão até abril, acredita ?! xD É maravilhoso !! Já recomendo demais !! <3 <3 <3 Beijos !! <3 <3 <3

Deixe uma resposta