Memórias póstumas de Brás Cubas ♥

Ao verme que primeiro roeu
as frias carnes do meu cadáver
dedico como saudosa lembrança
estas Memórias Póstumas”.
Brás Cubas, Machado de Assis.

Estou cada vez mais aproveitando leituras que, em épocas passadas, não aproveitei tanto assim. Em minhas leituras atuais, estou intercalando literatura internacional com literatura nacional, e tem sido uma experiência muito divertida e proveitosa. Já fiz a minha primeira resenha literária (Moby Dick) para o blog; se ainda não conhece, é só clicar aqui.

Juliana Fiorese - Resenha livro

Hoje vim falar sobre a minha experiência de leitura com a obra Memórias póstumas de Brás Cubas, escrita por Machado de Assis.

Juliana Fiorese - Resenha livro

A história já começa de maneira intrigante, pois é narrada por ninguém menos que um morto! Sim, o protagonista, Brás Cubas, está morto e vai nos contando, através de suas memórias póstumas, toda a sua história de vida a partir do momento de sua morte. Ele inicia a sua história do “fim”, mostrando como foi e a causa de sua morte, quem estava no seu enterro, quem estava no seu quarto enquanto enfermo, a ideia fixa que teve nos seus últimos dias. Tudo assim mesmo, de “trás para frente”.

Depois que ele nos conta sobre esse “fim”, ele vai nos contar como foi a sua infância cheia de traquinagens, sua adolescência, seus estudos, seus amores, como passou os seus dias e, dessa maneira, começamos a nos aprofundar cada vez mais na sua vida.

O autor, muitas vezes ao longo do texto, faz menção ao próprio leitor, convidando-o a participar da conversa e fazendo-o pensar e meditar sobre o que foi dito. Repleto de críticas sociais, um texto que foi publicado em 1881 é tão atual, trazendo questões que ainda hoje – não sei como – existem em nossa sociedade. Recomendo demais essa leitura !!

Juliana Fiorese - Resenha livro

ISBN: 9788582850015 | Penguin & Companhia das letras | 368 páginas | 13 x 20 cm

O Memórias póstumas de Brás Cubas que li foi publicado pela editora Penguin & Companhia das letras, na versão do kindle. O livro é dividido em vários capítulos curtos, o que facilita muito a leitura. Além disso, há várias notas de rodapé, o que faz com que entendamos todo o contexto da história e as referencias que o autor utiliza ao longo da narração.

Depois que li o livro, fui logo procurar algum filme sobre essa história do Machado de Assis. Estou deixando aqui o link do trailer do filme que assisti e adorei:

Eu gostei muito dessa experiência de leitura. Me fez pensar em como estou passando os meus dias, o que venho fazendo para que a minha vida não seja apenas um grande vazio, no final.

Juliana Fiorese - Resenha livro

Meu olhar, enfarado e distraído, viu enfim chegar o século presente, e atrás dele os futuros. Aquele vinha ágil, destro, vibrante, cheio de si, um pouco difuso, audaz, sabedor, mas ao cabo tão miserável como os primeiros, e assim passou e assim os outros, com a mesma rapidez e igual monotonia“. Capítulo VII – O delírio.

E como não podia faltar, fiz um desenho ♥ do Brás.

Juliana Fiorese - Resenha livro

À partir desse desenho, eu fiz um pôster e estou disponibilizando para quem quiser imprimir !! Ele está em formato A4, mas também pode ser impresso em tamanhos menores. Para ficar bem bonito, o ideal é imprimir em um papel mais grossinho que o normal, com gramatura acima de 180. Para baixar, é só clicar na imagem a seguir, depois clicar em “download” e, por fim, clicar em “free download“.

Brás Cubas Juliana Fiorese

Espero que o desenho traga uma dose extra de amor ♥ para a casa de vocês !! Adoraria ver como ele ficou aí no seu cantinho. Se quiser me mostrar, é só me marcar no instagram @julianafiorese e usar a #ilustrafiorese.

Espero que tenham gostado do post !! Muito obrigada por acompanharem até aqui ♥.

Com carinho ♥, Juliana Fiorese.

Juliana Fiorese

0 comments

Deixe uma resposta